Início / O lugar / Hospedagens / Contatos / As Casas / Os Estúdios / Fotos Rollantes / Vídeos / Sustentabilidade / O Sítio / Arredores

Vídeos


Pedras Rollantes tem tanta coisa para ver e viver que, de vez em quando, nós saímos pelo Sítio para tentar capturar as cores, os sons e os movimentos que nos rodeiam.

Alguns dos filminhos que resultam das observações estão colocados em nosso canal no YouTube, outros vão direto para as páginas do Facebook e muitos nem são editados.

Aqui é possível curtir alguns deles. Ao clicar nas imagens, abrirá a página com o vídeo no YouTube.

 

O primeiro concurso fotográfico “Fotos Rollantes” teve quase uma centena de inscrições e estava aberto quem se hospedou na Pousada ou participou do Café no Sítio, entre os feriadões do Natal de 2017 e a Páscoa de 2018. O vídeo mostras todas as 12 fotos premiadas, seus autores e os prêmios de cada um. O prazo para envios de fotos para o “Fotos Rollantes II” vai até o Dia dos Pais deste ano, 12 de agosto de 2018.

 

O 1º Festival de Empilhamento de Pedras no leito do Rio das Águas Frias aconteceu na Pousada Pedras Rollantes, em Alfredo Wagner, em 16 de dezembro. O empilhamento de pedras se enquadra no conceito de “landing art”, quando elementos da natureza são usados para criações ao ar livre. Caracteriza-se também pela efemeridade, uma vez que as obras podem ser desfeitas pela ação dos ventos, chuvas, sol, etc. As esculturas no leito do Rio das Águas Frias terão o tempo da próxima cheia.

 

Todas as fotografias que compõem este vídeo foram obtidas entre 11:30 e 12:20 do dia primeiro de setembro de 2017. A inspiração para fazer estas fotos surgiu após ouvir a Lu Eicke cantarolar Sol de Primavera, de Beto Guedes, quando olhou para as montanhas pela grande janela da cozinha. Todas as fotos são de Tarcísio Mattos, assim como a edição do vídeo. A trilha sonora que acompanha as imagens é a melodia “Trabalhadores da Destoca”, do genial Elomar Figueira de Melo, interpretada pelo autor e pelos não menos geniais Arthur Moreira Lima, Heraldo do Monte e Paulo Moura,
Muitos dos dias de outono nascem envoltos em uma neblina expeça, daquelas que não deixam enxergar “um palmo na frente do nariz”. Quando o dia vai, gradativamente, ganhando calor, ela começa a se dissipar e permite que se observe as nuances de uma manhã acinzentada. Linda. A trilha é trecho da abertura do CD “Sobre Todas as Coisas”, de Zizi Possi.
Este filminho foi feito em time-lapse, que é como é chamada a técnica de se obter centenas de fotografias em espaços curto de tempo entre cada uma delas e depois monta-las em vídeo. Foram mais de duas mil fotos feitas com uma câmera GoPro em intervalos de 10 segundos e exibidas com intervalos de dois décimos de segundo. Elas mostram o início da manhã, desde ainda antes do nascer do sol, e, em seguida, a luz do astro rei iluminado a encosta oeste de Pedras Rollantes. Na parte da tarde, mostra as nuvens correndo no céu azul e as águas do Rio das Águas Frias. Por fim, o entardecer, com a encosta oeste recebendo as sombras do poente. O dia em imagens tem, como música de fundo, “Moça Nua”, composta e interpretada por Manassés.
As noites de lua cheia criam um espetáculo à parte em Pedras Rollantes. Sem a interferência da iluminação artificial, a luz refletida no nosso satélite se espalha pelo vale e permite belas caminhadas sob o luar. Dá até para ler. Este filme foi feito com fotos de nossos arquivos, com o intuito de oferecer a pousada para o feriadão da Semana da Pátria. BLANCAh é quem assina a trilha, com a música Higher Ground.
Este filme é o mesmo da abertura do site da Pousada. Ele traz um resumo de quase tudo que há em Pedras Rollantes. As fotos são de Tarcísio Mattos, que, juntamente com a Lu Eicke administra as Casas, e de Eduardo Marques, que é responsável pelos Estúdios Enxaimel. A trilha sonora é um fragmento de “Queda do Ninho”, criada e executada por BLANCAh.
Nas tardes de domingos o sítio é aberto para receber os visitantes que participam do Café no Sítio Pedras Rollantes. É um Café servido ao ar livre, levado de mesa-a-mesa, num lento ritual no meio da paisagem. O cardápio muda constantemente, sempre acompanhando os produtos sazonais. Nos alimentos são usados ingredientes regionais e, sempre que possível, orgânicos. As fotos são de Tarcísio Mattos e mostram o ambiente e parte das comidinhas que são preparadas para o deleite dos visitantes.
O casal de artistas Alice Spinola e Carlos Ranna, ala musicistae ele pintor, passou uma semana na Casinha no último verão. Ela trouxe seu piano e ele seus pincéis, tintas e cavalete. A melodia que emanava da sala alcançava nossos ouvidos quando caminhávamos nos arredores da casa. Ele desenhou paisagens por todo o terreno e, antes de irem para casa, fez um quadro de sua musa. Parte do trabalho está registrado neste vídeo que tem como trilha sonora a magistral “Cantilena”, de Villa Lobos, na interpretação de Leila Guimarães.
Nos arredores de Pedras Rollantes rola muita coisa legal. Uma dela é o Parque Aquático Salto das Águas, aberto nos meses de calor. Lá tem uma série de atrações bem molhadas. Umas tranquilas, como as piscinas rasas atravessadas com fitas para quem quer testar equilíbrio, e outras bem radicais, como o Crocoloco, onde pode-se alcançar 80 km por hora num tobogã de 50 metros de altura e 200 de extensão. O vídeo foi feito durante descidas no Águia da Montanha. É pura diversão. A trilha é Apium, de BLANCAh.
Alfredo Wagner é um dos locais em Santa Catarina mais indicados para a prática do mountain bike. Além de possuir uma geografia privilegiada, com montanhas que alcançam altimetria superior a 1000 metros de altitude, a grande maioria alcançada por trilhas ou estradas, algumas em propriedades particulares, o município conta coma malha viária vicinal de mais de 3 mil quilômetros. Estradas que cruzam vales, que levam à cachoeiras, florestas, pastagens pelas mais de 50 comunidades do interior. Para os mais radicais, aqueles que gostam da adrenalina, é possível fazer um donwhill na estrada interna de Pedras Rollantes, como fez este grupo de ciclistas do MTB Alfredo Wagner. Eles partiram do portão que leva para os Estúdios Enxaimel, a 600 metros de altitude, e chegaram nas margens do Rio das Águas Frias, 100 metros abaixo, percorrendo pouco mais de 500 metros. É para quem é do ramo! A trilha é Albatroz, de BLANCAh.
A uns 12 km de Pedras Rollantes está mais uma atração que Alfredo Wagner esconde por entre suas montanhas. Esconde mesmo, pois para chegar ao canion do Arroio do Leão, é preciso sair da estrada, caminhar seguindo o leito do arrio até se deparar com um paredão de pedras com uma estreita passagem por onde escorrem as águas de descem desde a região da comunidade de Santa Bárbara. Para conhecer o lugar precisa saber que terá que caminhar com água fria na altura da cintura. De ponta a ponta, são uns 200 metros entre as paredes de pedra que, em certos locais, atinge perto de 70 metros de altura. O canion fica numa propriedade particular e é necessário fazer contato antes para marcar a visita, que custa R$ 10,00 por pessoa. A trilha deste vídeo é “Nest”, de BLANCAh
Não há um amanhecer igual a outro em Pedras Rollantes. As fotos que compõem as duas sequencias deste vídeo, nos arredores da Casinha, foram obtidas na metade do outono. Música é “Hárpia”, de BLANCAh.
Início / O lugar / Hospedagens / Contatos / As Casas / Os Estúdios / Fotos Rollantes / Vídeos / Sustentabilidade / O Sítio / Arredores